sábado, 20 de julho de 2013

CACHAÇA - A Bebida do Brasil



Da família das aguardentes, feita à base de cana-de-açúcar, leveduras e água, a cachaça é uma bebida destilada genuinamente nacional, com características históricas, culturais e econômicas significativas para o povo brasileiro.

Além do sabor e aroma característicos, possui uma enorme versatilidade. Pode ser degustada pura, on the rocks ou em drinks, misturada com as mais variadas frutas, realçando-lhes o sabor. Seu uso na culinária também é amplo, e ela pode ser fundamental para dar um toque de classe à qualquer receita.

Segunda bebida alcoólica mais consumida no país, só perdendo para a cerveja, a cachaça, entretanto,  por muito tempo, foi vista com preconceito, recebendo apelidos curiosos - como  caninha, pinga, branquinha, saideira, marvada, zuninga (o novo dicionário Houaiss registra mais de 500 sinônimos para a cachaça) - que contribuíram para que se criasse estereótipos sobre o produto e o consumidor, e para que ela fosse colocada à margem do mercado.

Mas, grande beneficiada  pelo desenvolvimento da gastronomia brasileira nas últimas décadas, a cachaça acabou dando a volta por cima e ganhando ares de produto gourmet”.

A redescoberta do valor da culinária regional, ações governamentais e os investimentos que as empresas produtoras vêm fazendo no sentido de melhorar a qualidade e excelência do produto, valorizando-o através de um trabalho de marketing fizeram com que a bebida passasse a ser vista com outros olhos.

A exemplo do que fizeram outros países, como os Estados Unidos no caso do vinho da Califórnia, o investimento em melhoria da qualidade das aguardentes é necessário para que o produto atinja níveis de qualidade exigidos pelo mercado internacional e também para melhorar seu conceito no Brasil.

Hoje a cachaça é reconhecida, valorizada e até festejada por um público interessado na cultura do nosso regionalismo e vem conquistando o mercado internacional. Já não é raro encontrá-la exposta com destaque em elegantes restaurantes, bares e adegas residenciais pelo Brasil e pelo mundo. Também já é muito freqüente vê-la como ingrediente nas receitas de conceituados chefs de cozinha e complementando-as com requinte.


O mercado brasileiro atual

Com mais de 5 mil marcas e cerca de 30 mil produtores em todo o país, o mercado atual de Cachaça fechou o ano de 2004 com uma produção de 1,3 bilhão de litros.

O mercado para aguardente engarrafada se divide nos segmentos popular e premium. A aguardente popular é acondicionada em garrafas de 600 ml, similares às garrafas de cerveja, e correspondem a 28,6% do total. O segmento premium, que corresponde por aproximadamente 31% do mercado total, é acondicionado em garrafas de 970ml ou 1 litro. E existe uma parcela do mercado, cerca de 40,4% que é comercializada na informalidade.

Uma tendência observada é o aumento de consumo de aguardente de cana pelas classes sociais com alto poder aquisitivo em locais denominados cachaçarias, que se espalham por todo o país.


 
O sucesso internacional

Graças à caipirinha, o drink mais popular do Brasil, a cachaça virou moda mundial. Com grande apelo de charme e sedução, como a bebida típica brasileira, leva consigo todo o exotismo do Brasil, estando hoje presente nos melhores bares e casas noturnas, em Londres, Paris, Berlim, Nova York e outros pontos do circuito badalado do planeta. É, hoje, o terceiro destilado mais consumido no mundo, atrás apenas  da vodca e do soju (ou sochu) coreano.

Institutos de Pesquisas e revistas de comportamento dos Estados Unidos e Europa vêm apontando a cachaça e a caipirinha como bebidas em ascensão, com potencial para substituir outros destilados e seus coquetéis que fizeram sucesso nos últimos anos. Segundo diversos analistas, a cachaça é a candidata favorita ao boom no mercado mundial. Nos próximos anos deve conquistar mercados ávidos de consumidores de destilados, como o dos EUA.

Mas, mesmo com um nível de aceitação tão bom junto aos estrangeiros e o mercado em crescimento, as exportações de cachaça ainda estão iniciando no Brasil. Atualmente, apenas 1% da produção anual(cerca de 10,2 milhões de litros) é exportada, a maior parte para a Europa, especialmente para a Alemanha, que consome mais de 30 % do total exportado para mais de 60 países.

Mas até o final desta década a perspectiva é de atingir 4% da produção nacional com destino ao mercado externo. Confiantes, os produtores vislumbram um crescimento acelerado das exportações, esperando até o fim desta década que as exportações beirem os 40 milhões de litros do produto
 

A qualidade da nossa cachaça é equivalente à das melhores bebidas destiladas do mundo e hoje já podemos nos orgulhar de ter nossa bebida típica reconhecida, assim como os escoceses se orgulham do seu whisky, os franceses do seu champanhe, ou os mexicanos da sua tequila.

Fonte: Correio Gourmand