segunda-feira, 22 de junho de 2015

Maceió vai ganhar primeira feira gastronômica na orla de Ponta Verde

Panela de Chef irá reunir grandes nomes da cozinha alagoana para produzir pratos gourmet a preço acessível.


Um festival de sabores vai invadir Maceió a partir do mês de julho. A Panela de Chef é uma feira gastronômica que reunirá chefes de cozinha renomados para produzir pratos gourmets à preço justo, na orla da Ponta Verde. O espaço contará com barracas, Food Trucks e um lounge gourmet ecológico com som ambiente. Um programa ideal para os domingos na capital alagoana.

Uma das curadoras da feira, Fabiana De Mutiis, explica que o objetivo é trazer para Maceió o formato de feira gastronômica já é realizada nas grandes cidades de todo país.

“Comida de rua já é uma realidade das grandes capitais do mundo. São Paulo tem uma nova feira a cada semana e essa tendência se espalhou por todas as regiões, inclusive no Nordeste. Maceió não poderia ficar de fora, temos aqui um apelo muito forte da gastronomia. Já tivemos feiras esporádicas, mas nesse formato, realizada todos os domingos, será a primeira vez”, afirma Fabiana.

Já confirmaram presença na Panela de Chef nomes como Bodega do Sertão, Bendita Massa, Divina Gula, The Black Beef, Vila Chamusca, Divino Aipim, Operant, Cevada Pura, Helado Monterrey, Açaí Concept, PIkNik, La Marquesa, Juliana Almeida, Simone Muniz com a Casa da Culinária, Rafael Gendiroba com Steak Truck, chef Wanderson Medeiros, entre outros.

“Alagoas tem grandes chefes reconhecidos nacionalmente e uma culinária muito rica, por isso acreditamos no sucesso da feira gastronômica. Também temos a intenção de revelar novos talentos. Tenho certeza que todos vão aprovar a variedade de pratos que foram selecionados com muito cuidado”, diz uma das curadoras Waleska Morelatto.

O evento contará ainda, esporadicamente, com atrações musicais e até exposições culturais. “Em alguns domingos iremos trazer essas novidades. Nossa proposta é oferecer aos alagoanos e aos turistas um espaço descontraído onde todos possam provar pratos elaborados e com preços acessíveis” conclui a curadora Fabiana De Mutiis.


Serviço

Data: a partir de 5 Julho
Quando: Todos os domingos
Horário: 11h às 18h
Local: Avenida Silvio Vianna, 3.221, Ponta Verde.


Alguns pratos já que estarão na feira:

Vaca Atolada - Divino Aipim: Esse é um prato típico da comida caipira e tem como principais ingredientes a costela bovina e a macaxeira.




Alfajor- Pik Nik: É uma sobremesa feita basicamente com massa de biscoito recheado com caramelo e uma camada de chocolate por cima. O diferencial do alfajor feito pela Pik Nik é que ele não tem a acidez dos famosos alfajores da Argentina.




Macarajé- Vila Chamusca: Esse bolinho de macaxeira recheado de camarão e requeijão foi inventado pela chef Silvana Chamusca. O formato lembra o acarajé, mas o sabor é totalmente diferente.



Suspiro Limeño- La Marquesa: É uma sobremesa tradicionalíssima de Lima (capital do Peru) e carregada de história. Há dois séculos se chamava Manjar Real do Peru.



Açaí Concept - O grande diferencial do Açaí Concept são as coberturas e acompanhamentos que você pode escolher.



The Black Beef: Os hambúrgeres gourmets já são sucesso absoluto em Maceió. Nada de trivial, pelo contrário, os hambúrgeres artesanais são preparados com ingredientes de primeira qualidade e acompanhados de queijos especiais e outras iguarias.



Baião de Dois - Wanderson Medeiros – Baião de Dois todo mundo conhece, mas sempre é possível deixar esse prato típico do Nordeste ainda mais saboroso, principalmente quando preparado pelo chef renomado Wanderson Medeiros.



Camarão Gratin – Juliana Almeida – essa delícia será o prato de Juliana Almeida que deixou a área jurídica para se dedicar à gastronomia. A alagoana aposta na receita de família para agradar o paladar dos visitantes da Panela de Chef.


Fonte: 

Panela de Chef- Feira Gastronômica‏




segunda-feira, 15 de junho de 2015

Chef Helen Braz e a cultura dos caldos


Créditos: Karla Conte Cardoso



Helen Braz é Chef de Cozinha e Personal chef, faz eventos e comercializa caldo e comida congelada. É natural de Goiânia e independente de está frio ou não tem a cultura de tomar caldo.

Em Campo Grande – MS segundo a chef existem poucas opções de caldos e teve a ideia de produzir e vender os caldos congelados, pensando no consumidor que gosta desta culinária dos caldos.

Comercializa oito sabores de caldos congelados caldo verde, caldo de feijão, caldo de carne seca com cabotia, caldo pantaneiro, caldo de frango com milho, caldo de legumes, caldo de legumes com frango e minestrone de carne.

O caldo Pantaneiro  sem dúvida, é o mais pedido. Ele é uma deliciosa mistura de 2 ingredientes muito usados na culinária sulmatogrossense a mandioca e a carne soleada, com bacon.  A carne soleada é uma carne que só se encontra aqui no MS e a que a chef usa é  produção dela. Usa o sal boiadeiro para passar na carne, o que dá um sabor diferenciado e coloca numa caixa telada para serenar uma noite e secar no sol no dia posterior.

“É uma delícia, quem prova nunca esquece”!!!!!!!!!!

A chef Helen Braz irá nos contar o segredinho dela, a sua receita de caldo pantaneiro. Irão se deliciar e nunca esquecerão esse sabor único. Fora que é também uma ótima opção de reaproveitamento daquela carne e a mandioca que restou do churrasco, um pouquinho diferente do caldo tradicional mas muito delicioso também.


O caldo pantaneiro é uma receita típica de Ribas do Rio Pardo MS, e a chef fez algumas adaptações e o resultado vale a pena conferir.






Caldo Pantaneiro



Foto: da chef






Ingredientes:

1 kg de mandioca descascada

500 g de carne soleada desfiada 

300g de bacon brunoise - (cortada em cubos pequenos)

250g de cebola brunoise - 
(cortada em cubos pequenos)

35g de alho amassados

2 litros de mirepoix de carne soleada

Cheiro verde quanto baste

Molho de pimenta quanto baste


Modo de preparo


Carne soleada desfiada. Coloque a carne numa panela de pressão e acrescente 1 litro de água, depois de pegar a pressão deixe 15 minutos e desligue 
.
Reserve o caldo, retire a carne e desfie.

Mirepoix de carne

Caldo da carne soleada, 2 talos de salsão, 2 cenouras médias, 4 cebolas, 2 cravos, 2 folhas de louro e 5 litros de água.

Ferva até que esse caldo reduza para 2 litros, coe e reserve.

Cozinhe a mandioca com sal e bata no liquidificador com o a água que a cozinhou até fazer um creme. Frite o bacon, retire e escorra em papel toalha.  Reserve a gordura do bacon, coloque numa panela grande e frite a cebola e o alho, acrescente a carne soleada desfiada e frite um pouquinho. Misture todos os outros ingredientes menos o cheiro verde e a pimenta, deixe ferver e desligue o fogo.


Prove e caso necessário acrescente mais sal.

O cheiro verde e a pimenta são opções e aqueles que gostam servem.

Dica :

Forre os bowls (tigelas)  com mussarela e coloque o caldo !
Sirva com torradas.

Hummmmm fica delicioso !


Helen Braz
(67)3306-7060
(67)9284-1515
(67)9942-7444

sexta-feira, 5 de junho de 2015

NOTA DE AGRADECIMENTO DO PRESIDENTE DO GRUPO CONFORTO GASTRONÔMICO - GERALDO GUERRA JR.




Na condição de presidente do Grupo Conforto Gastronômico – GCG – empresa idealizadora e executora do Prêmio Nacional DÓLMÃ, venho a público para agradecer o apoio e a participação dos internautas brasileiros desde o processo de indicação até o presente processo de votação nos Chefs de Cozinha de todos os estados brasileiros.
O Prêmio Nacional DÓLMÃ foi idealizado a partir de um estudo de mercado que identificou a falta, no Brasil, de uma premiação que no mesmo momento de sua execução envolvesse ações em todos os estados brasileiros, como também, pudesse resgatar, registrar e valorizar os vários talentos profissionais existentes em cada estado.
Como premiação o Dólmã possui regras de validação, desenvolvidas por profissionais especializados, e precisam ser cumpridas para o devido processo legal de transparência, ética e principalmente democracia. Aliás, a democracia é um dos pontos mais importantes de todo o processo de indicação, votação e resultado final da premiação.
Para que o Dólmã pudesse alcançar em todo o seu processo os mais diferentes públicos possíveis, elegemos três canais para o processo de indicação, foram eles: internautas (que escolheram 01 Chef de Cozinha mais indicado por estado), profissionais da área (indicação dos Chefs premiados com a edição 2014 que indicaram no mínimo 03 Chefs e a Comissão de pesquisa escolheu um dentre eles) e a Comissão de Pesquisa que avaliou mais de 500 currículos em todo o país.
O DÓLMÃ nasceu com uma nova proposta na medida em que envolveu todos os estados brasileiros e em cada edição serão indicados 03 Chefs de Cozinha na categoria estadual e 05 Chefs na categoria nacional que juntos totalizam o número de 86 Chefs de todo o Brasil.
É natural que após a criação do Prêmio DÓLMÃ a mobilização seja nacional, devido às novas possibilidades para muitos profissionais que estão batalhando na área há muitos anos, como também, para os profissionais que estão começando a carreira.
É importante que todos nós vivamos a essência da premiação que é exatamente a riqueza da troca de experiências que acontece desde a indicação com os contatos virtuais até os encontros físicos de todos os Chefs indicados na realização do Encontro de Chefs do Brasil – ENCHEFS – e com a realização da Cerimônia de Gala do Dólmã 2015, considerada o Tapete Vermelho da Gastronomia Brasileira, onde os Chefs indicados são tratados como verdadeiras estrelas.
Para nós é uma grande honra termos o estado de Mato Grosso do Sul e o SENAC/MS como anfitriões do ENCHEFS e da Cerimônia DÓLMÃ, o que tornou possível o estado ser a principal célula da gastronomia brasileira no ano de 2015.
Os nossos eventos acontecem na programação da Semana Nacional de Gastronomia e Turismo, criado pelo SENAC/MS, que através da presença dos Chefs indicados ao Dólmã, mostrará ao Brasil, as riquezas gastronômicas, culturais e turísticas do estado de Mato Grosso do Sul.
Viveremos até o dia 30 de junho de 2015 o processo de votação dos internautas que representa um peso de grande importância no resultado final da premiação, pois será esse resultado, juntamente com os votos da Comissão Julgadora que podem levar determinados Chefs a receberem a estatueta DÓLMÃ e o título de Embaixadores da Gastronomia dos seus estados e nacional.
É importante resultar que todo o processo de votação é auditado para que o nosso compromisso com a ética, transparência, democracia e profissionalismo sejam resguardados.
Convocamos a todos os internautas brasileiros para votarem, através do nosso aplicativo móbile que também está disponível no Facebook, nos seus Chefs preferidos de cada estado do Brasil e o nacional.
Entendemos que esse processo não é uma disputa, mas uma grande celebração da gastronomia brasileira. Contamos com todos vocês, Chefs indicados e principalmente com os não indicados na edição 2015, pois todos vocês são os profissionais responsáveis pela grande riqueza histórica, cultura e profissional da gastronomia brasileira.
Que Deus nos abençoe!
Atenciosamente,
Geraldo Guerra Junior
Presidente do Grupo Conforto Gastronômico 

Prêmio Nacional DÓLMÃ